Geração Z: conheça o perfil desses profissionais que estão chegando ao mercado.

Os profissionais da chamada Geração Z estão chegando e o desafio das empresas é entendê-los e mantê-los motivados.

Já falamos sobre como fazer o job description perfeito. Mas muitos recrutadores possuem dúvida de como se comunicar com a chamada Geração Z, que dizem respeito aos jovens de até 25 anos.

A Geração Z são as pessoas que nasceram nos meados dos anos 90 e que estão entrando no mercado agora e substituindo a famosa e tão falada Geração Y. E uma palavra as define: Tecnologia.

A Geração Z é como se fosse sinônimo da tecnologia. Elas já nasceram inseridas nesse meio, já estão acostumadas com a velocidade de informação.

Quando foram para a sala de aula, já existia buscadores online e redes sociais. Por isso mesmo eles são mais rápidos e dinâmicos. Tudo está no alcance de um clique.

Aliás, a letra que dá nome a essa geração quer dizer exatamente isso. O “z” de Geração Z vem da palavra “zapear”, que nada mais é do que o ato de trocar de canal rapidamente pelo controle remoto. Ou seja, a noção de troca rápida e constante deu o nome desse grupo.

O grande barato dessa geração é que ela já nasceu nessa era da tecnologia. Diferentemente da Geração X, que teve que se adaptar as novas tecnologias, e da Geração Y, que cresceu juntamente com o desenvolvimento das modernidades, quem pertence a Geração Z nasceu na era da velocidade e por isso buscam lugares para trabalhar que ofereçam isso a eles. Lugares onde a tomada de decisão é rápida e que possuam poucos níveis hierárquicos.

Por conta disso tudo, esses jovens são dinâmicos, acelerados, ansiosos, ágeis, criativos, antenados e com um ritmo de trabalho totalmente diferente das gerações anteriores.

Por conta disso, essa geração até no primeiro emprego buscam lugares em que elas se identifiquem com a cultura organizacional. Por isso é tão importante, na hora de escrever o job description, de deixar bem claro a cultura da empresa, para conseguir atrair exatamente os candidatos que possuem fit cultural com a organização.

E por buscarem uma identificação com a empresa, para eles é mais difícil criar um vínculo com a organização, pois, se estiverem insatisfeitos não vão pensar duas vezes em buscar outro lugar para trabalhar.

Eles buscam lugares onde há diversidade, onde se é aberto ao diálogo, onde chefe e empregado podem ter uma conversa de igual para igual.

Além disso, eles também buscam trabalhar por conta própria como freelancers, se reunindo por projetos ou abrindo seu próprio negócio.

Então, a grande preocupação das organizações é como receber esses novos profissionais. As empresas precisam entender o perfil desse novo colaborador que está chegando ao mercado. Precisam criar novas formas de liderar e de manter o colaborador motivado.

Cabe aos gestores terem essa percepção desta nova realidade. A Geração Z está constantemente mudando e buscando novos desafios. E por causa disso, será cada vez mais difícil reter talentos na empresa.

Muito dificilmente profissionais passarão anos na mesma companhia e o papel dos gestores é conseguir aproveitar ao máximo o colaborador no tempo em que ele estiver lá.

O problema é que muitas empresas não pensam e não querem investir em talentos que, repentinamente, podem sair da corporação. Pensam que é muito esforço recrutar, selecionar e desenvolver profissionais que podem ir embora a qualquer momento.

Mas o ponto é exatamente esse. O profissional precisa sentir-se valorizado e é com treinamentos e com programas de desenvolvimento que ele se sentirá assim. As empresas precisam criar programas de carreiras atrativos para que impeçam essa rotatividade na equipe.

Geração Z

Outra característica da Geração Z pode ser vista de dois lados: negativo e positivo. Essa geração é multitarefa, ou seja, eles têm capacidade de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo.

Por um lado isso é bom, mas por outro pode ser prejudicial, pois, ao realizar várias funções ao mesmo tempo, perde-se o foco. Assim, eles tornam-se profissionais mais dispersos, não conseguindo se concentrar em uma só atividade.

Esse é outro motivo de que programas de desenvolvimento são importantes. Eles vão capacitar os novos profissionais no quesito liderança, de comunicar-se bem e de uma uma boa relação inter-pessoal.

A relação da Geração Z com as gerações passadas, como a Y e a X, são muito importantes, pois cabe a estas gerações passar ensinamentos e conhecimentos para quem está entrando no mercado. Cabe a elas a ensinar a ter uma visão mais focada em resultados e metas, contribuindo para a relação entre gerações dentro da organização.

Mas, além de treinamentos e outros programas, como manter esse profissional engajado para evitar a rotatividade na equipe?

1 - Saiba ouvi-los

Como mencionado, eles são acelerados e ansiosos e por conta disso precisam ser ouvidos. Até porque eles estão antenados com tudo o que está acontecendo no mundo, então é uma boa ideia saber o que eles têm para falar.

Quando são ouvidos, eles sabem que estão sendo reconhecidos, o que aumenta sua energia e motivação para trabalhar.

Também é bom ouvi-los em relação a práticas da empresa, o que eles pensam e se querem dar alguma sugestão de melhoria.

2 - Meritocracia

A palavra da Geração Z é meritocracia. E é cada vez mais comum as empresas trabalhem no regime de meritocracia. Trabalhar com esse conceito traz motivação para o profissional, além de fazer ele desenvolver habilidades com o que está aprendendo na prática.

3 - Horário de trabalho flexível

Geração Z

Muitas empresas já estão adotando esse modelo de trabalho, o famoso home-office. Os jovens não querem mais ficar oito horas por dia atrás de uma mesa, por isso as empresas já estão mais flexíveis em relação a isso.

Seja contratando profissionais totalmente home-office ou permitindo que o colaborador trabalhe de casa pelo menos uma vez por semana, algumas organizações já estão percebendo que isso será cada vez mais comum.

Mas trabalhar remotamente não quer dizer, necessariamente, trabalhar em casa. Pode ser em casa, em algum café ou em conjunto, como em coworking, pois eles também valorizam os relacionamentos no trabalho.

Outro fato interessante é que a Geração Z está mais disposta a viajar ou se mudar de lugar por algum emprego.

4 - Treinamentos

Volto a falar sobre treinamentos. O maior motivo para os profissionais dessa geração ficarem em um emprego é a oportunidade de se desenvolver lá dentro, tanto profissionalmente como de forma pessoal.

A oportunidade de receber treinamentos relacionados a sua função, os fazem ter mais confiança na empresa, além de poderem incrementar o currículo com novas habilidades e competências.

Agora que você já sabe como é o perfil da Geração Z, falta escrever aquela descrição de vaga atraente para chamar a atenção desses novos profissionais. Quer algumas dicas? Então inscreva-se na nossa lista Vip para saber quando vai sair nosso próximo artigo que abordará exatamente esse tema.